terça-feira, 31 de maio de 2011

Aspargos frescos e batatas do Jamie Oliver


As receitas do Jamie Oliver são maravilhosas, a maioria fácil de fazer e tem uma displicência marota que é a cara dele. Não desgrudo da TV quando consigo assisti-lo “brincando” na cozinha, adoro! Então, por pura influência desse jovem chefe inglês pop fiz aspargos frescos e batatas assadas para acompanhar a picanha na chapa num domingo de inspiração culinária. 

Aspargo com bacon ao forno
1 pcte de aspargos frescos
5 fatias de bacon magro picadas
Azeite, sal grosso e tomilho a gosto.

Em uma refratária reguei azeite e misturei os aspargos para envolvê-los no óleo, por cima distribui o bacon, temperei com sal grosso triturado e alguns ramos de tomilho fresco. Levei ao forno quente sem papel alumínio até os aspargos ficarem assados, aproximadamente 30 minutos, até dar uma corada e derreter o bacon, mas fique de olho, pois cozinha rápido. Esses aspargos estavam tenros e doces antes de cozinhar, comprei no Feirão Oda II (Rua: Rui Barbosa, 1054 fone 18 3221-7119), chega toda quinta-feira apenas por encomenda, entre outras coisas que não se encontra por essas bandas.


Batatas “assadas” na frigideira
3 batatas pequenas com casca por pessoa
Alguns dentes de alho
Azeite, sal grosso, alecrim a gosto

Cozinhei as batatas em água com ½ colher de sal grosso até ficarem macias. Em uma frigideira grande e antiaderente coloquei um tanto bom de azeite (2 CS) , os ramos de alecrim e as batatas com os dentes de alho. Amassei um pouco as batatas para pegar sabor, coloquei uma pitada de sal grosso e fui virando até pegar cor por todos os lados, acrescentando um fio de azeite quando necessário.

domingo, 15 de maio de 2011

Moqueca de Camarão

Essa Moqueca, simples de preparar, ficou muito boa e parecida com as que provei em Salvador.  Adorei tanto os pratos da capital da Bahia, que quando voltei, após passar 10 dias em 2009/2010, estava tão conectada com os sabores que resolvi escrever o Cozinha de Retalhos. O aroma de coentro, a simpatia do povo, os sabores picantes e o mar me conquistaram para sempre, espero voltar mais vezes. Coentro é uma erva de amor ou ódio e junto com a pimenta e o óleo de dendê compõe a tríade de tempero que está na mesa do baiano, em muitos pratos, para o desespero de quem odeia. Eu amo e acho que o segredo é usar com parcimônia para não assustar os paladares mais tímidos.  Meu marido diz que não gosta de coentro, mas adorou a Moqueca e já comeu, sem saber logicamente, até no feijão! 

Moqueca de Camarão
½ Kg de camarão pequeno
3 tomates (sem pele) bem maduros picados
½ pimentão vermelho
1 cebola pequena picada
2 dentes de alho
1 CS Azeite de oliva
½ CS Azeite de dendê
1 cs de dendê Colorau
200 mL de Leite de coco
Sal, pimenta, Coentro à gosto

Temperei o camarão com alho (1 dente pequeno), sal e um fio de azeite, deixei tomar gosto uns 30 minutos. Em uma frigideira grande dourei o alho (1 dente) em azeite de oliva e dendê, coloquei a cebola e o pimentão para refogar até ficarem macios, quando adicionei o tomate e deixei cozinhar por uns 15 minutos após temperar com sal e uma pitada de pimenta. Quem não tem criança e gosta de pimenta deve refogar 1 dedo de moça junto com os temperos. Coloquei os camarões e após mudar de cor (uns 3 minutos), o leite de cocô, o colorau e deixei ferver, cuidado para não deixar os camarões muito tempo no fogo, ficam borrachudos. Antes de desligar salpiquei um punhado de Coentro e reguei com um fio de azeite de dendê, com arroz branco e vinho Chardonnay (ou outro branco) geladinho fica um absurdo de bom!

terça-feira, 10 de maio de 2011

Orquídeas

 Adoro pisar descalça na terra, grama, areia da praia, pedra, enfim gosto de sentir a natureza sob meus pés. Domingo andando pelo quintal da minha casa e examinando cada cantinho do jardim, coisa que eu faço sempre, vi pela primeira vez, em quase 4 anos, que minha orquídea tinha completado sua floração. Esse processo fantástico começou alguns dias atrás, quando tirei as primeiras fotos. 





 Foi um presente de Gaia no dia das mães!

domingo, 1 de maio de 2011

11º Encontro da Confraria de Vinhos: França

Na última sexta-feira a 11a Reunião da Confraria Amigos do Vinho aconteceu em minha casa para degustar vinhos franceses, graças à blogosfera culinária e ao meu livro do Anthony Bourdain acho que consegui reproduzir um jantar Francês legal para a degustação, principalmente levando em consideração meu tempo curtíssimo. Fechei o cardápio quinta-feira à noite, comprei tudo na sexta na hora do almoço e comecei às 18:30 h a cozinhar, contando com a ajuda da Marina às 21:40 h estava quase tudo pronto para ser finalizado na hora de servir. Meu jantar Francês consistiu de: 1º prato – Entrada: Caldo de Aspargo; 2º prato – salada: Salada de Endívia; 3º Prato: Prato Principal: Beouf Bouirguignon  do Anthony Bourdain com purê de batata; 4º queijos: Brie, Cablanca e Gruyère; 5º Sobremesa: Mousse de Maracujá. Abaixo de cada foto segue a receita, não irei citar os vinhos, pois a Denise está com todas as informações minunciosamente registradas e irá cuidar dessa parte.

O Creme de Aspargo com Crocante de Bacon eu encontrei no Panelaterapia fiz duas receitas, que serviu 6 pessoas, apenas adaptei colocando queijo Gruyère no lugar do parmesão e mais queijo por cima na hora de servir, ficou delicioso!

A Salada de Endívias, Gorgonzola, Uva e Nozes também é do Panelaterapia e eu também alterei algumas coisinhas. Usei requeijão ao invés de creme de ricota e o molho fiz com mostarda Dijon, aceto Balsâmico, azeite, tomilho e sal. Hummm!

O Beouf Bouirguignon, clássico da cozinha francesa, ficou bem gostoso, usei fraldinha ao invés de uma carne mais dura que acho que ficaria melhor, vou experimentar na próxima vez e transcrevo a receita em outro post. O purê de batata fiz misturando leite integral, creme de leite fresco e manteiga em uma panelinha até levantar fervura, depois coloquei esse creme sobre as batatas amassadas em uma panela, provei o sal, coloquei noz moscada e pimenta do reino moída na hora e deixei ferver, batendo com um fouet, até ficar liso e cremoso.

Dei uma escorregada nos queijos, dos 3 que servi apenas um era Francês (Brie), um Holandês de cabra (Cablanca) e um Suíço (Gruyère), mas o de cabra é de matar de bom!


A Mousse de Maracujá ficou perfeita! Com consistência maravilhosa, super aerada e muito fácil de fazer. O segredo está em tirar o soro do creme de leite Nestlé e bater no liquidificador, junto com os outros ingredientes por pelo menos 5 minutos. Usei 1 lata de leite condensado Nestlé (gelado), 1 lata de creme de leite Nestlé (sem soro) e 1 lata de suco de maracujá comprado (gelado). Após bater bastante no liquidificador coloquei em taças de champagne, cobri com a calda feita com 2 maracujás, 2 colheres de açúcar cristal e água. Para a calda misturei tudo e deixei no fogo até engrossar um pouco. Ficou umas 5 horas na geladeira antes de hora de servir e rendeu 6 taças cheias como na foto. Um casal infelizmente não compareceu e aos que vieram externo nossos agradecimentos por uma noite tão agradável!